quarta-feira, 3 de outubro de 2007

Basta de ser testemunha


Eis-nos aqui, hoje, no nosso tempo. Estamos vivos. E queremos lançar a nossa pedra no edifício da época que nos compete viver. Basta de sermostestemunhas. Também nos queremos partícipes, feitores da nossa existência.

Nesta tribuna caberá de tudo um pouco. Gota a gota, ou em catadupa, de rompante ou por via de um parto lento e doloroso, as nossas ideias aqui estarão, sem auto-censuras, livres, mas honestas e responsáveis. Não nos impomos limites no tratamento das questões. Da literatura à política, da música às artes plásticas, do sério ao cómico, do sagrado ao profano, do real ao ficcional, os nossos textos terão como substracto Angola, o país e as suas gentes, o passado, o presente e o futuro desta realidade impossível de separar do nosso ser. Mas também não deixaremos de lançar um olhar acutilante ao que se passa no Mundo, pois, muito do que nos afecta, aqui, no nosso recanto, foi gerado nessa dimensão chamada Mundo.

Estaremos abertos à partilha de ideias e de pontos de vista. Queremos nos enriquecer com a experiência de quem divide connosco a existência neste Mundo de hoje, nesta época que nos coube viver. Simbolicamente, procuraremos estabelecer uma ponte com o passado e com aqueles que, não estando já vivos, deixaram um rasto de vida, um contributo perene para a continuidade física e espiritual da espécie humana.

Isaquiel Cori